31 de jul de 2013

#Reflexão

Quem é você?

É isso mesmo, venho hoje questionar a mim e a vocês. Quem somos nós?

A realidade é nua e crua, sem pena de bater ou jogar spray de pimenta nos nossos olhos. Por mais que digamos que não, dançamos sim conforme a musica, musica essa que dita a moda, as tendências e os hábitos. Em plena semana em que o Papa Francisco veio ao Brasil eu me inspiro para falar sobre autoavaliação, avaliação que essa figura com reconhecimento mundial me fez observar. Claro que todos temos nossa maneira de ser e agir, porém com toda nossa sabedoria mesmo que as vezes essa esteja oculta na última gaveta daquele comodo que só serve para guardar bugigangas velhas e coisas que até queremos jogar fora mas a preguiça não deixa. Temos que aplaudir de pé as atitudes desse ser.

Humildade, essa é a palavra! Simples assim, você pode ter tudo porém sabe que não levará nada consigo na hora da morte. Leiam bem! Não estou aqui com falsa modéstia ou hipocrisia, longe de mim tentar ser tal ser que irá julgar todos e se colocar e local puro, limpo e sem erros. Venho dizer que temos que acordar (eu e todos vocês) para o que está acontecendo com o mundo. Vivemos em um busca louca por satisfação pessoal e prazeres consumistas. Não queremos perder pra ninguém. Se o meu vizinho comprou um carro que foi lançado na propaganda que passou ontem antes da novela das 9, eu consequentemente tenho que trabalhar loucamente para comprar um carro tão bom quanto. A vizinha da esquerda colocou 300ml de silicone nos seios que eu tenho q colocar 305. A cantora "X" usa um lacinho rosa na cabeça, não posso ficar fora dessa.

Ei!!! Acorda!!! Existem crianças morrendo de fome, sem ter o que comer durante um dia todo, e outras trabalhando de forma escravizada para você ter esse tênis de R$ 500, tênis no qual ela ganhar uns centavos para produzir. Existem coisas mais importantes, PRIORIDADES, é isso que Francisco quis dizer. Mais de 3 milhões de pessoa, hum... que lindo. Porém quantas falou um bom dia para o mendigo mês passado? Modinha? Creio que na sua maioria sim, claro existem pessoas que levam a serio e que fazem sim um trabalho humanitário, porém, muitas daquelas pessoas não estão nem ai para o que está acontecendo no mundo.

São pobres homens desistindo de suas vidas e entrando no mundo do crime, pais de famílias se entregando ao álcool de maneira que em breve só restaram história ruins para se ouvir deles.  E nós estamos aqui na zona de conforto da terra, pensando só em crescimento, degraus, subida, para no final não conseguir carregar nada de bom a não ser algumas roupas para o caixão.

 Não venho apelar para ninguém se converter em alguma religião e sair por aí como nômade pelo mundo tentando ajudar a todos. Venho pedir simplesmente para que possamos fazer essa pergunta a nós mesmos.

Quem é você?